ARTIGOS

Cenário cultural

Organizações Católicas de Comunicação: Criação da Signis-Brasil

Helena Corazza, fsp

A Igreja Católica tem um caminho histórico de organização e articulação de profissionais de comunicação, em nível internacional, de longa data. A partir do surgimento dos meios de comunicação, a Imprensa, o Cinema, o Rádio e a Televisão, a reflexão e o interesse de marcar presença qualificada por meio de associações que reunissem profissionais atuantes para serem “fermento”, foi grande. Para falar da reorganização das entidades católicas de comunicação no século XXI, é importante fazer memória, ainda que em fragmentos, de como e quando elas iniciaram, há quase cem anos atrás.

Na história da comunicação, a chegada das tecnologias vai chegando gradualmente. 1456, a Imprensa; 1895, o Cinema; 1915-20, o Rádio; 1930- 40, a Televisão. Sensível e cuidadosa com os meios que surgiam e a influência que poderia ter na sociedade, a Igreja criou organizações que permanecem até hoje. Ao criá-las, uma das preocupações era a formação do público receptor. A primeira é ligada à imprensa e iniciou nos anos de 1927-28, na Bélgica, com o nome de União Católica Internacional de Imprensa (UCIP). A segunda é ligada ao Cinema, cuja criação é também de 1928, com o nome de Organização Católica Internacional do Cinema (OCIC), fundada durante o Congresso Católico Internacional de Cinema, na Holanda, sob o papa Pio XI, que escreveu uma carta sobre o Cinema chamada Vigilanti Cura, recomendando o cuidado com o cinema. A organização que deveria cuidar do Rádio e da Televisão também teve sua criação em 1928, na Alemanha, com o nome de Organização Católica Internacional de Rádio e Televisão (UNDA). O nome UNDA não é uma sigla, mas quer dizer, onda.

É importante notar que essas organizações internacionais foram criadas antes da Igreja ter meios próprios de comunicação, lembrando que a instalação da Rádio Vaticano é de 1931. Havia também incentivo e esforços para a produção e projeção de filmes nas paróquias. A televisão ainda estava em experimentos, mas ainda não era um meio de comunicação. Uma das missões das organizações católicas sempre foi a formação dos que recebiam as mensagens. Realizaram congressos no mundo inteiro reunindo grande número de profissionais e com temas atuais. Dirigindo-se aos participantes do congresso da OCIC de Manila, Filipinas, com o tema: “A influência cultural e social dos filmes estrangeiros”, o Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Agostinho Card. Casaroli, assim se expressou: “Na educação das crianças e dos jovens, não se trata de tirar o lugar aos ‘mass media’, e por consequência ao cinema, onipresente na formação escolar e nos tempos livres, diretamente ou por meio de pequenos alvos, mas de os utilizar com conhecimento de causa. Neste plano, uma colaboração entre a OCIC e a UNDA poderá ser benéfica para ensinar a melhor administrar os meios audiovisuais de grupo”.

A organização nos continentes

No continente latino-americano também essas organizações foram unindo profissionais e meios de comunicação da Igreja. Assumindo a sigla Internacional com a terminação Brasil. Dessa forma a organização ligada ao Cinema, a OCIC para a América Latina foi criada em 1960 e a OCRC/BR, em 20 de maio de 1984. (Estudos da CNBB 72, p.99).
A associação responsável pelo Rádio e Televisão, União de Radiodifusão Católica, denominada UNDA/BR, foi fundada no dia 28 de abril de 1976, em Assembleia realizada no Rio de Janeiro. O ato foi motivado pela insistência do representante continental da UNDA, que entendia que o Brasil, com tantas emissoras de rádio, não podia deixar de ter a associação. O primeiro presidente foi o Frei Cyrillo Mattiello, de Porto Alegre, RS, relata a história.

A SIGNIS (Associação Católica Mundial para a Comunicação) foi criada em novembro de 2001, mediante a fusão da UNDA (a Associação Católica Internacional para Rádio e Televisão) e da OCIC (a Organização Católica Internacional do Cinema e Audiovisual). Hoje conta com parceiros em 130 países e representa a mídia católica em várias organizações e instituições governamentais e não-governamentais. A SIGNIS realizou seu Congresso Mundial em outubro de 2009, em Chiang Mai, na Tailândia com tema “Mídia para uma cultura de paz: direitos das crianças, promessa do amanhã” e teve representação do Brasil.

No Brasil, o tema da criação da SIGNIS Brasil também vem sendo discutido e amadurecido há tempo, na Equipe de Reflexão do Setor de Comunicação da CNBB e foi tratado, em especial, na Assembléia da UNDA-Br, em novembro de 2007, em Curitiba, PR, com o tema “Identidade e formas de participação”. Na ocasião, o presidente da Comissão de Cultura, Educação e Comunicação da CNBB, Dom Orani João Tempesta, convocou os meios de comunicação da Igreja para a união de esforços. Essa unidade, segundo ele, pode vir com a criação da SIGNIS Brasil, uma organização que pretende reunir todos os meios de comunicação da Igreja Católica a partir da UNDA-Br, que congrega as rádios católicas, e da Organização Católica Internacional de Cinema (OCIC).
SIGNIS BRASIL

A comunicação para uma Cultura de Paz

SIGNIS Brasil, associação católica de comunicação, foi fundada no dia dois de dezembro de 2010, com estatutos aprovados pela assembleia da UNDA/Br, em Curitiba, PR. É reconhecida pela Conferência dos Bispos (CNBB); filiada à Signis Mundial; ligada ao Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais e mantém diálogo e intercâmbio com a Signis AL e Caribe.

Missão

Animar, unir e congregar todos os meios de comunicação católicos e de inspiração cristã do país e a formação de comunicadores, para que vivenciem seu carisma em colaboração, em vista dos objetivos comuns.

Organização

Uma diretoria eleita por três anos; membros associados, tanto instituições de comunicação como pessoas físicas; articula-se em áreas/setores: Impressos, Rádio, Cinema, Internet, TVs, Formação e capacitação, Faculdades de Comunicação. Há um quadro de associados entre os meios de comunicação, emissoras de Rádio e profissionais que comungam com os ideais da associação.
O escritório é conjunto com a RCR (Rede Católica de Radio), em São Paulo, SP.
Diretoria eleita para o triênio 2011-2013: Presidente – Ir. Helena Corazza – Paulinas SEPAC; Vice-presidente – Pe. César Moreira – Rede Aparecida; Secretário – Antonio Celso Pinelli – Rádio Aparecida; Tesoureiro – Pe. André Lima – Rádio Aliança de Brasília.

Contato: (11) 2578-4866 – E-mail: signisbrasil@signisbrasil.org.brwww.signisbrasil.org.br