DICAS DE LEITURA

Mistagogia

Mistagogia significa “ser introduzido no mistério”, ou seja, no plano salvífico de Deus de salvar o mundo em Cristo (cf. Ef 1,3-13), e isso acontece eficazmente pelos sacramentos. Na Igreja primitiva, os adultos eram iniciados pelos três sacramentos durante a vigília do Sábado Santo.

Assim, o Tempo Pascal passa a ser considerado o tempo adequado de os recém-batizados aprofundarem a experiência proporcionada pelos sacramentos. Podemos notar que as leituras da missa desse tempo facilitam a compreensão deles e do que é ser Igreja.

Daí surge a necessidade de rever o calendário da catequese para priorizar a celebração dos sacramentos na vigília e durante o Tempo Pascal.

Nos primeiros quatro séculos, somente se falava sobre os sacramentos após estes terem sido celebrados, pois, uma vez iluminados pela fé do Batismo, os neófitos (recém-iluminados) achavam-se habilitados a compreender melhor a experiência dos sacramentos.

Os sacramentos revelam a grandeza dos dons pelos quais os eleitos foram agraciados e abrem os horizontes de vida nova a que foram chamados a trilhar. De um lado, permanece a aliança de adesão e compromisso do fiel e, do outro, a fidelidade do Senhor que não falha.

Ao tomar a iniciação cristã como caminho, os três sacramentos deixam de ser pontos de chegada, para se tornarem encontros transformadores que impelem à vivência dos valores, sentimentos e atitudes de Jesus confrontados ao longo do discipulado.

A celebração dos símbolos e gestos na liturgia leva o catequizando a experimentar esses sinais não apenas como elementos deste mundo, mas, se olhados com fé, como realidades divinas.

Esse método requer uma adequada visão dos fundamentos da liturgia: sacerdócio comum, assembleia, espaço litúrgico, ministérios, participação, oração eucarística, celebração da Palavra…

Nos encontros catequéticos, sejam realizados pequenos exercícios com experiências, símbolos e celebrações para propiciar uma educação litúrgica que capacite o catequizando a interiorizar os principais gestos da liturgia. Pequenas celebrações com os símbolos litúrgicos e com a proclamação da Palavra colocam o fiel em contato direto com o mistério de fé celebrado.

Há que vencer a mentalidade marcadamente devocional e assumir uma catequese experiencial, celebrativa e orante, que dê importância aos símbolos e aos progressivos passos na fé, assumindo assim as características de um processo iniciático.