DICAS DE LEITURA

Querigma

Querigma se refere ao primeiro anúncio da fé que os apóstolos dirigiam aos judeus e pagãos com a finalidade de eles se converterem à novidade do Evangelho de Cristo.

Em frases curtas e testemunhais, os apóstolos apresentavam o Deus revelado por Jesus e a novidade de vida que os levava a ser enviados da verdade. Paulo dirigia o primeiro anúncio aos não convertidos: “Eu vos transmiti, antes de tudo, o que eu mesmo tinha recebido: Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ao terceiro dia foi ressuscitado, e apareceu a Cefas e depois aos Doze” (1Cor 15,3-5). É a revelação da pessoa do Senhor e do seu Reino que vem ao nosso encontro e nos toca, nos faz participantes da nova realidade de graça e salvação.

O poder do Espírito e da Palavra contagia as pessoas e as leva a escutar Jesus Cristo, a crer nele como seu Salvador, a reconhecê-lo como quem dá pleno significado as suas vidas e a seguir seus passos. Com a mesma eficácia, a Palavra de Deus realiza, hoje, aquilo que anuncia como conversão, graça e salvação.

O Evangelho está cheio de cegos, de surdos, de mudos. Eles sofrem terrivelmente de solidão. Não conseguem se comunicar. Jesus toca nesses irmãos marginalizados e diz: “Efatá”, que quer dizer: “Abre-te” (Mc 7,34). Ele continua também hoje a gritar o seu “Efatá” a tanta gente que não enxerga, não ouve, não fala. E muitas vezes não enxerga a beleza de Deus, não ouve a Palavra de Deus, não fala a língua de Deus.

O primeiro tempo assinalado pelo Ritual de Iniciação Cristã de Adultos, chamado pré-catecumenato, trata da acolhida do candidato que precisa aprofundar a experiência da fé em sua vida mediante o anúncio do querigma. As situações de luto, doenças, crises conjugais… aproximam as pessoas da Igreja, porque buscam um sentido mais profundo para o sofrimento.

Aqueles que acompanham essas pessoas neste primeiro tempo, ou seja, os introdutores, irão ajudá-las a acolher esses acontecimentos com o discernimento da fé. Somente o encontro pessoal com ele produz a conversão para uma vida plena. O anúncio da pessoa de Jesus Cristo consola, gera esperança e conforto e deverá percorrer ao longo de toda a catequese de forma convicta e testemunhal.

Tenhamos presente os pais e padrinhos que pedem o Batismo para seus filhos; os fiéis das missas de sétimo dia ou que ocasionalmente frequentam a missa dominical… Daí a importância de a comunidade sair ao encontro das pessoas afastadas ou não evangelizadas para anunciar-lhes o querigma e acolhê-las em seu meio.

Mais do que nunca se faz necessário o “primeiro anúncio” em todas as formas de catequese e que todo encontro com os fiéis torne-se ocasião para recuperar o coração da fé (querigma) e fazer o convite para a adesão inicial.

Anunciar o querigma implica comunicar a própria experiência de fé, posicionar-nos como pessoas de fé numa sociedade que duvida, questiona, põe à prova as convicções do missionário.